O que é e como surgiu a Osteopatia

Osteopatia é um tratamento surgido nos EUA, cujo criador foi o Dr. Andrew
Taylor Still (1828-1917), que apresentou os princípios desta terapia
natural.É um sistema de avaliação e tratamento, com metodologia
e filosofia própria, que visa restabelecer a função das estruturas
e sistemas corporais, agindo através da intervenção manual
sobre os tecidos (articulações, músculos, fáscias, ligamentos,
cápsulas, vísceras, tecido nervoso, vascular e linfático).

O fundador da Osteopatia foi Andrew Taylor STILL, nascido em
Jonesborough, Virginia, Estados Unidos, em 6 de agosto
de 1828. Sua família imigrou em 1837 para Missouri, onde
comprou uma granja e levou uma vida de pioneiros. Seu pai,
Abram, era pastor metodista, médico e agricultor.

Durante a década de 1850-60, quando estava recém casado, A.T. STILL
estudou na Universidade de Medicina em Kansas City, no Colégio de
Médicos e Cirurgiões (Missouri). Ao retornar, se tornou agricultor e junto com
seu pai, ajudou a cuidar da saúde dos índios Shawnees, cuja línguia aprendeu
a falar corretamente e com pajés adquiriu conhecimentos de cura natural.

Por ser muito curioso, racionalista, mecânico e analógico estudou a natureza. Sua biografia menciona cinco anos de estudos em engenharia. Amante da mecânica inventa e aperfeiçoa, nesta época, várias máquinas agrícolas. Participou da Guerra de Secessão (1861-1865) como cirurgião, o qual o permitiu adquirir uma grande experiência anatômica sobre os seres vivos. Depois da guerra, decidiu estudar anatomia e fisiologia para tentar entender melhor o corpo humano. Ele chegou a se convencer de que a ingestão de medicamentos apresentava inconvenientes aos pacientes.

Ao final da guerra, em 1865, durante uma epidemia de meningite cérebroespinhal, A.T. STILL perdeu vários paciente e três de seus filhos. Este acontecimento foi determinante em sua tomada de consciência dos limites da ação da medicina clássica e dos medicamentos. Este fato marcou a sua ruptura definitiva com a medicina alopata, para a qual voltou às costas, para tentar buscar os fundamentos de uma nova medicina que tivesse mais harmonia com as leis naturais e, sobre tudo, que fosse mais eficaz nas enfermidades graves e incuráveis e nos distúrbios crônicos.

Em 22 de junho de 1874, curou uma criança que sofria de disenteria hemorrágica. Ele comprovou que o abdome estava frio e, no entanto a parte inferior do tórax estava muito quente. Compreendeu então que as contraturas torácicas estavam relacionadas com o mau funcionamento do intestino. Mobilizou a criança e no dia seguinte ela estava curada. Foi a primeira vez que STILL colocava em prática suas observações e trabalhos anteriores. Nesta época lhe surgiu a idéia que iria revolucionar a própria concepção da medicina. STILL criou o termo Osteopatia.

O que é e como surgiu a Osteopatia

No início do século XX, William Gardner SUTHERLAND (1873-1954),
ficou impressionado com os resultados da Osteopatia, ao ter o
irmão curado com esta terapia. Ele abandonou sua profissão de
jornalista e inicia os estudos de Osteopatia com STILL em
Kirksville. No consultório de seu professor observou um
crânio arrebentado que lhe chama a atenção. Ele se deu
conta de que cada peça óssea apresenta suturas em forma
de biseis. Ele havia estudado que os ossos do crânio eram
soldados entre si e sem dúvida aqueles biseis pareciam
refletir o contrário. Começou a investigar observando,
palpando, desarticulando crânios, comprovando que
estava certo, pois as peças ósseas possuem a capacidade de
uma ligeira mobilidade, como se estivessem articuladas
entre si.

Por volta de 1920, elaboram o conceito do movimento respiratório
primário (MRP), um movimento rítmico no qual participam
elementos ósseos, membranas de tensão recíprocas (duramater, tenda
do cerebelo e a foice do cérebro), o líquido cefalorraquidiano (LCR) e o sacro animado por uma força vital que ainda não havia conseguido decifrar.

Dedica-se a fazer experiências e faz um capacete especial e experimenta nele mesmo. Conserva este capacete sobre sua cabeça dias e semanas inteiras, trocando os pontos de apoio e de aperto. Com as pressões, produzem sobre seu controle cefaléias, vertigens, transtornos da visão, síncopes. Chega assim, a sentir sobre si mesmo como se comportam os diferentes ossos do crânio e as membranas intracranianas, quando o crânio é submetido a pressões específicas. Foi assim que ampliou o conceito de mobilidade craniana para o de mobilidade crânio-sacro. Em continuidade, criou uma série de manipulações cranianas. Estas manipulações lhe aliviam as pressões exercidas por seu capacete. Começa a tratar diferentes patologias em seus pacientes, obtendo resultados satisfatórios. Após vinte anos de experiências decidiu, em 1929, informar ao mundo osteopático (publicar) a realidade deste novo conceito. Surgindo a osteopatia craniana.

Osteopatia

Princípios da Osteopatia

Unidade do Corpo

O corpo é uma unidade biológica e fascial que possui um
sistema complexo de comunicação e de controle, que
assegura a regulação da sua homeostasia. O corpo busca
o equilíbrio em todos os momentos e como um todo, não
em segmentos, como muitas vezes o tentam dividir.

A Estrutura Governa a Função

STILL disse: "Quando a estrutura estiver em equilíbrio, à
doença não poderá se desenvolver". Toda a estrutura (ossos,
pele, fáscias, glândulas, vísceras, músculos, articulações,
etc) é indivisível, funciona como um todo. A função é o
funcionamento da estrutura, ou seja, todos os tecidos corporais.
A Patologia não pode instalar-se se o todo estiver harmônico. Então
a desarmonia da estrutura facilita a patologia.

A Auto-Cura

O corpo é capaz de se autocurar. O corpo tem em si todos os meios necessários para evitar ou eliminar doenças, porém tem que estar em harmonia para funcionar corretamente. A Osteopatia coloca os tecidos em harmonia para que o próprio organismo possa se autocurar.

A Regra da Artéria

Onde a circulação sanguínea se realiza normalmente, a doença não pode se desenvolver, porque o sangue circula e transporta todos os elementos necessários para assegurar a imunidade natural e para lutar contra a doença

Massagem

"A vida é o movimento" STILL

O tratamento osteopatico está indicado sempre que houver alguma
desregulação no funcionamento sistêmico do corpo.

Osteopatia Estrutural

Dores da coluna vertebral como as protusões e hérnias
discais, as ciatalgias, os torcicolos, as lombalgias agudas
ou crônicas, vertigens, neuralgias cervicobraquiais;
atuando também nas inflamações e dores dos membros
como tendinites; LER/DORT; dor miofascial; problemas
articulares gerais como entorses e traumas, e em todas as
patologias que possuem caráter músculo-esquelético.

Osteopatia Craniana

Cefaléias e enxaquecas; distúrbios visuais e auditivos; disfunções
da articulação têmporo-mandibular (ATM); distúrbios de deglutição;
alterações digestivas (pela inervação do nervo vago); alterações vestibulares;
alergias; rinites e sinusites; otites; dores crônicas.

Osteopatia Visceral

Hérnia de hiato; ptoses viscerais; asma brônquica; pneumonia; constipação intestinal; distúrbios hepatobiliares; alterações cardíacas; distúrbios renais; alterações do ciclo menstrual; síndrome pré-menstrual; alterações hormonais; queda da imunidade; patologias sistêmicas de origem visceral.

Costas